ANÁLISE OSCAR 2015: DIREÇÃO

Categoria que mais sofreu influência com a mudança das regras para mais de cinco filmes elegíveis, este ano não foi diferente, gerando muitas intrigas e até suspeitas de misoginia e racismo, além do fato inédito de termos um diretor indicado sem que seu filme esteja entre os selecionados.

 

MELHOR DIREÇÃO

 

ALEJANDRO GONZÁLEZ IÑÁRRITU “BIRDMAN OR (THE UNEXPECTED VIRTUE OF IGNORANCE)”

inarritu1

Dono do melhor trabalho direcional do ano, venceu com justiça o DGA e aparece como grande adversário à vitória de Linklater, e tem nossa torcida para que a justiça seja feita também no Oscar.
Depois de uma trilogia em companhia do roteirista Guillermo Arriaga, e de um filme chato e depressivo como “Biutiful“, tem seu grande reconhecimento com uma comédia ácida e crítica, o que pode ser prejudicial para uma premiação tão conservadora como esta, que não gosta de pensar muito e premiar inovações.

INDICAÇÕES ANTERIORES:
MELHOR DIRETOR:

“BABEL” (2006)

MELHOR FILME:

“BABEL” (2006)

 

RICHARD LINKLATER “BOYHOOD”

linklater2

Mesmo perdendo o DGA, é o franco favorito para levar seu prêmio logo em sua primeira indicação. O que indica também um prêmio pela carreira onde seus únicos bons trabalhos foram a trilogia “Before“, onde a qualidade está no roteiro, e não na direção.
Ou seja, é um diretor tão medíocre quanto suas obras, uma versão inferior de Cameron Crowe, mas que conquistou parte do público e toda crítica com um filme simples que de difícil mesmo foi somente conciliar a agenda do elenco por tanto tempo, nada que o torne original ou visionário.

INDICAÇÕES ANTERIORES:
MELHOR ROTEIRO ADAPTADO:

“BEFORE SUNSET” (2004)

“BEFORE MIDNIGHT” (2013)

 

BENNETT MILLER “FOXCATCHER”

miller1

Talvez um dos melhores diretores surgidos na virada do milênio, dono de um trabalho mais clássico e consistente, Miller consegue a proeza de ser o primeiro diretor indicado sem que seu filme esteja entre os selecionados, desde que as regras para indicação de mais de cinco filmes foram alteradas.
O que é uma pena, pois “Foxcatcher” é um dos melhores filmes do ano, mas o ritmo lento e a densidade afastaram parte da crítica, prejudicando bastante as chances do longa adquirir maior reconhecimento.

INDICAÇÕES ANTERIORES:
MELHOR DIREÇÃO:

“CAPOTE” (2005)

 

WES ANDERSON “THE GRAND BUDAPEST HOTEL”

"The Grand Budapest Hotel" New York Premiere - Inside Arrivals

Reconhecido pela crítica logo em seu filme de estreia e responsável pela ressuscitação da carreira de Bill Murray, Anderson ganhou status de talentoso e cult, mesmo não sendo nenhum destes.
Seus filmes acabaram adquirindo uma personalidade facilmente reconhecível, e isto é de se admirar, mas seus roteiros fabulescos e pseudo-intelectuais ganharam fãs pelo mundo todo e agora, com mais um filme supervalorizado, consegue sua primeira indicação como diretor.
Mesmo com poucas chances nesta categoria, provavelmente levará o prêmio de roteiro, o que diminuirá a pressão sobre a Academia para reconhecê-lo por seus próximos trabalhos.

INDICAÇÕES ANTERIORES:
MELHOR ROTEIRO ORIGINAL:

“THE ROYAL TENENBAUMS” (2001)

“MOONRISE KINGDOM” (2012)

MELHOR ANIMAÇÃO:

“FANTASTIC MR. FOX” (2009)

 

MORTEN TYLDUM “THE IMITATION GAME”

tyldum1

Diretor norueguês de carreira televisiva, seu trabalho mais comercial e conhecido foi a adaptação do best seller “Headhunters“, de Jo Nesbø. E em “The Imitation Game“, Tyldum faz apenas um trabalho correto; não precisava ser indicado, isso apenas deu falsas esperanças para o filme aparecer com força quando, na verdade, deve sair de mãos vazias.
No entanto, com esta indicação, o mercado se abre para mais um europeu tentar sucesso num cinema que carece de talento.

 

MENÇÃO HONROSA

DAMIEN CHAZELLE “WHIPLASH”

chazelle1

Com uma estreia energética e instigante, Chazelle merecia muito esta indicação, pois apresenta uma das melhores direções do ano numa das joias raras de um ano tão fraco.
Muito seguro na condução de sua obra, Chazelle tem tudo para ser o grande nome da nova safra de diretores, basta somente escolher bem seus projetos e se doar como fez com “Whiplash“, tido por muitos como o melhor filme do ano, e com certeza o melhor dentre os indicados.

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s